Se abster do Palmeiras é pedir para morrer.

Escrito porno 18 de maio de 2018

Indicação: De preferência leia quando estiver com tempo.

Minha ausência

Já faz praticamente um mês que eu não escrevo aqui, alguns já me perguntaram até por que eu parei. Não parei amigos, apenas paguei uma promessa rsrs… palmeirenses e suas crendices. Na semana do jogo contra o Boca na Argentina, eu conversando com um amigo que não entende muito de futebol, mas que entende de mim, ele me falou que se tira o Palmeira da Naiély ela não saberia lidar com a vida. Conversa vai e conversa vem decidimos medir isso. Três papeizinhos escrito “Não assistir jogos”, “Não falar de Palmeiras no Twitter” e “Não escrever na coluna” tudo por um mês. Fiquei pensando que raios estava querendo fazer…. Mas decidi arriscar a experiência por uma vitória na Argentina. E aaaah, ela veio, veio tão lindamente que quando lembrei que eu não podia escrever na coluna fiquei triste mas eu escrevi um texto meio que poema antes de dormir, só pela força do hábito mesmo e agora vou dividir com vocês:

“ O Palmeiras, é Palmeiras, meu Palmeiras, seu Palmeiras, nosso Palmeiras;

Já o futebol é de todos, mas não para todos;

Alguns tem paixão, outros tem amor.

Enquanto alguns criticam há os que foram para incentivar;

É respirando o verde e branco que a Argentina parou,

Parou para nos olhar.

Não foram apenas dois mil, 103 anos vividos por milhares estavam lá;

Que de perto ou de longe tiveram uma fé que se fez religião.

Não foi só por uma vitória, foi pelo o que carregamos no coração. ”

As dificuldades para acompanhar

Morar longe de SP já não ajuda muito, mesmo que indo nos jogos aqui no Sul a frequência é bem menor e eu sinto falta de mais jogos. Além disso, existem dificuldades ainda piores. Acredito que assim como eu muitos vivem isso. Dos últimos jogos por exemplo, contra o Boca Jr e contra América MG, eu consegui assistir só metade do segundo tempo para o final. Jogos durante a semana nunca é fácil acompanhar, mesmo que por links, grupos, etc. Devido a faculdade (faço aula e tenho orientação de artigo e TCC) eu vivo muito ansiosa, pensando em como está o jogo, se a bola está rolando ou se estão judiando, se Keno apesar da velocidade consegue fazer os passes certo, se Lucas Lima está no pique ou fazendo a linha SPFW, se a nossa zaga está acordada, se o esquema tático mudou, se estamos indo no sentido Avanti Palestra ou deixando que sambem na nossa área, enfim. Fico nas minhas nóias.

Eu não sei vocês, mas tem dias que meu estômago chega dói, apenas desejando chegar em casa logo e ligar TV. Quando ligo a TV já rola um alívio que vocês não fazem nem ideia. É tipo aquela calça apertada que você abre o botão depois de comer muito, ou quando tiram o sapato que mal te deixava andar.

É amigos, não é fácil. Mas pelo Palmeiras, uma vida por inteiro lhe dou.

Dos jogadores

Eu tenho admiração no individual por certos jogadores, nunca escondi que para mim Dudu é guerreiro, que Moisés além de um profeta é um meia que faz muito quando não está machucado, aliás esses dois nomes fizeram muitos chorar de emoção com a Copa de 2015. Fernando Prass atualmente mesmo que de reserva, esse se consagrou ídolo e para mim é incontestável. Tchê Tchê, mesmo que não jogando o que já jogou, mesmo errando tanto é o menino que eu penso, poxa, podia se achar novamente e fazer história com a gente, é um menino bom. Felipe Melo também faz suas cagadas, mas é outro que quando focado saber desenvolver seu bom futebol. Jaílson está com a gente já faz um tempo, mas entrou em destaque a pouco e entrou para ficar, nossa MURALHA. Dos novos nomes que chegaram, gosto do futebol do Guerra, mas gosto ainda mais do Borja fazendo uma única função, GOOOOOOOOOLS. Que embora muito criticado pela falta de domínio, ele vem dominando os números estatísticos, incontestável também. Hyoran, o menino que veio da Chape, será o milagre (referência a triste tragédia) a se revelar no Palmeiras? Ele merece chances de nos mostrar. E o Willian Bigode que vem dando passes lindos e assistências maravilhosas? São nomes que entre erros e acertos, tenho admiração sim.

Cada um tem suas características pela qual me fazem admirá-los. TODOS ERRAM, uns com mais frequências. Eu fico pê (para não falar palavrões) da vida com os gols que o Borja perde por exemplo, mas sei que há diferença entre pê da vida por um lance do que pê da vida por um jogador por causa de um lance. É tão necessária nossa paciência, quanto a raça deles.

Cesar Greco/ Palmeiras

O jogador Borja, da SE Palmeiras, comemora seu gol contra a equipe do Junior Barranquilla, durante partida válida pela sexta rodada, fase de grupos, da Copa Libertadores, na Arena Allianz Parque.

Da torcida e rivalidades

Algo que muito me entristece é a impaciência e a falta de fé de muitos torcedores, principalmente dos que pedem a saída do Roger, que por sinal vem apresentando bons resultados. Um dos motivos diz ser por não saber o que é um Dérbi. Fico pensando e, talvez ele não saiba mesmo, não tanto quanto nós. Mas ele sabe de futebol, sabe que vitória faz carreira, que títulos faz história, faz currículo. Ele sabe da grandiosidade do Palmeiras, da torcida. A sequência repetitiva de um esquema tático é de fato algo a se corrigir e estamos aqui para isso, para alertá-lo, é nosso papel. Ah mas ele não entende de futebol? Da mesma forma que jogadores erram, ele também. Normal. Futebol não é feito apenas de vitória.

Aliás, da mesma forma a torcida erra. Erra ao vaiar o técnico em um jogo de libertadores, EM CASA. Em meu ponto de vista, fizeram feio, feio demais. Devíamos mostrar que o que se canta na arquibancada se vive na prática, “nessa campanha quero SEMPRE estar contigo”, “Nós estaremos de coração” e os 90 minutos que dizem sempre apoiar deveria ser verídico. Cobrar não é errado, mas a forma como se cobra as vezes fica feio, deixa nossa casa feia, como que aquela bem bagunçada, onde um jogo que o resultado foi de Palmeiras 3 x 1 Junior Barranquilha muitos ficam confusos se realmente teve vitória porque o protesto tomou a cena. Tudo tem seu lugar e arquibancada é feita para apoiar. Mas infelizmente existe os que preferem taxar como Duduzetes e Borjetes e ainda dizer, esses 3 gols ai? Não me iludo. Aí eu me pergunto, para que rival né? Um Dérbi é um Dérbi, mas uns lances desses é mais preocupante que qualquer Dérbi possa vir.

Do sentimento

Não existe um sentimento sequer que não seja vivido pelo Palmeiras, desde ansiedades, raivas, tristezas até a mais alta adrenalina, até chegar ao ponto do amor. E em meio a tantos caos, a tantos tragam fulano, mande embora ciclano, sejam assim, façam isso e aquilo e tantos piriri pororó, sabemos que tudo passa, mas o Palmeiras fica. Aos fortes, sabemos que está complicado viver o futebol, que cada dia se torna mais difícil lidar com tudo, até com a própria torcida. Mas o difícil é como dizem, questão de opinião.

Eu me entristeço novamente quando leio comentários do tipo “perdi o tesão pelo futebol, já quero desistir”, “não dá mais nem vontade de acompanhar”, “eu não gasto mais com Palmeiras, pra mim já deu” e por assim vai. E ao mesmo tampo não entendo, pedem raça para os jogadores, mas querem desistir ou até desistem porque perdemos para o rival, mesmo que tenhamos a melhor campanha e ótimos resultados na sequência.  E a raça de vocês, CADÊ?

O fato é que, para o bem ou para o mal as coisas acontecem, e lidaremos com tudo, porque por mais difícil que seja, abster se de Palmeiras é pedir para morrer.

Cesar Greco/ Palmeiras

Fernando Prass.

Cesar Greco/ Palmeiras

Fernando Prass comemorando vitória no Allianz Parque.

 

 

 


Opiniões do leitor

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


Continue lendo

Web Rádio Verdão

A rádio do torcedor Palmeirense feita por Palmeirenses

AO VIVO
TITULO
ARTISTA

Carregando...