Postagem

Flamengo e árbitro amarelam

Pela 15ª rodada do campeonato brasileiro, Flamengo e Palmeiras se enfrentaram no Rio de Janeiro, no acanhado Ninho do Urubu, muitas reclamações no empate de 1 a 1.

A retrospectiva era favorável ao Palmeiras, até o jogo de quarta-feira (19/07/17) eram 45 vitórias verdes, 37 derrotas e 28 empates, o momento é melhor para o time carioca e por jogar em casa a obrigação era toda flamenguista.

O jogo foi pegado, com forte marcação dos dois lados, e logo aos 7 minutos, depois de erro de marcação de Dudu e Zé Roberto, Pará recebeu na entrada da área, invadiu e chutou cruzado, Jaílson pulou mas não chegou a tocar na bola. Estava aberto o placar.

O Palmeiras sentiu o gol, mas com calma foi equilibrando o jogo e aguentando a pressão flamenguista que apertou ainda mais a marcação, aos 31 minutos em uma roubada de bola, contando com falha da marcação carioca, Zé Roberto colocou Willian na cara do gol, ele esperou a saída do goleiro Thiago e com tranquilidade colocou por cima, empatando o jogo.

Agora quem sentiu o gol foi o time carioca, o Palmeiras apertou a marcação e deixou o adversário acoado na defesa, e quando o Flamengo conseguiu respirar indo para o ataque, Mina, o zagueiro artilheiro roubou a bola, muito reclamado pelos cariocas querendo falta do zagueiro, avançou até o meio campo e lançou Róger Guedes pela direita, dominou, avançou e na saída do goleiro tocou por baixo, virando o jogo. Tudo parecia maravilhoso, ainda comemorando, o torcedor foi pego de surpresa, o goleiro Thiago lançou a bola para o campo de ataque, o zagueiro Luan errou a marcação e deixou Guerreiro tomar conta do espaço, dominar e com o pé esquerdo fuzilar Jaílson, que nada pode fazer. Tudo empatado e um balde de água fria na torcida e no time.

O segundo tempo foi mais equilibrado, o Palmeiras conseguiu se impor e criar boas chances com Borja e Luan, mas a maior chance do segundo tempo foi do Flamengo, um pênalti infantil do lateral Michel Bastos deixava o torcedor preocupado, o gol poderia complicar tudo e dificultar ainda mais um bom resultado, a esperança agora estava nas mãos do goleiro Jaílson, que substituía Fernando Prass por não atravessar boa fase. Diego ajeitava a bola, Jaílson olhava fixo para o cobrador, a torcida aguardava ansiosa, só esperando para comemorar o gol, mas o Palmeiras tinha Jaílson da massa, desde que vestiu a camisa verde, nunca havia perdido uma partida no campeonato brasileiro. A defesa foi comemorada pelo goleiro e oferecida para Prass com um gesto do dedo apontado para o banco de reservas, “é pra você”.

Para o campeonato, o empate foi ruim para os dois times, mas para o Palmeiras, empatar fora de casa não foi ruim, o time mostra evolução, e a vitória só não veio por detalhes, ou melhor, por falhas individuais. Eles reclamaram, e reclamar também faz parte, mas na verdade deram aquela amarelada. Ficaram só no cheirinho e no mimimi.

Falar da arbitragem é chover no molhado, sempre o mesmo do mesmo, mas temos que registrar os 9 cartões amarelos para os jogadores palmeirenses, nada igual já foi visto no futebol. O Palmeiras perdeu quatro jogadores por suspensão, Dudu, M.Bastos, Tchê Tchê e Borja, também não contará com Felipe Melo e Guerra, que ficaram em São Paulo para recuperação, Willian, saiu machucado com dores na posterior da coxa esquerda, ficará por 4 semanas afastado dos gramados, mas o técnico Cuca conta com o retorno de Edu Dracena e promoverá a estréia do atacante Deyverson.

A rodada do próximo fim de semana é muito importante para os time que estão na cola do líder, a diferença vem diminuindo e a pressão começa a fazer efeito pelos lados da marginal sem número.

Acompanhem Sport X Palmeiras, domingo às 16h, com a equipe mais verde do planeta. @webradioverdao webradioverdao.com.br

Forte abraço verde

Claudio Ricci

 

1
Participe das transmissões!